(00351) 212 454 656 info@bright-solar.pt

Qual o tipo de coletor solar que devo instalar?

Existem duas categorias de coletores:

Coletores planos (de chapa/placa plana com cobertura de vidro):
Este é sem dúvida o tipo de coletores mais utilizado. Apresenta um custo mais baixo do que os tubos de vácuo e a sua resistência é maior. Basicamente é composto por caixas planas revestidas com um isolamento no seu interior, exceto uma das faces que é de vidro transparente. Cada caixa contém uma placa aborsora plana que absorve a energia solar, e é através dela que circula o fluido encarregado de transferir o calor recebido. As perdas de calor são evitadas pelo isolamento instalado por baixo da placa e pelo vidro por cima. Se a placa absorsora tiver uma absortância elevada (> 90%) e irradiar pouco (6 a 15%) designa-se por seletiva. A maioria dos coletores planos é capaz de conseguir temperaturas até 70ºC acima da temperatura ambiente, sendo muito utilizados para águas quentes sanitárias (AQS) e aquecimentos de vivendas ou de zonas habitacionais. Para casos específicos, existem coletores planos de alta eficiência que trabalham a temperaturas mais elevadas.

Coletores solares de tubos de vácuo:
São compostos de tubos de vidro em vácuo para reduzir as perdas térmicas, uma vez que o vácuo é uma das melhores barreiras térmicas, permitindo elevar temperaturas facilmente 100ºC acima da temperatura ambiente. Cada um desses tubos contém um absorvente (geralmente uma placa de metal negro) o qual absorve a energia solar e a transfere a um fluido térmico. Este tipo de coletor é particularmente apropriado a aplicações de altas temperaturas e utilização em instalações domésticas não é a mais aconselhável, até pelo maior custo que representa e pela manutenção a que está sujeito, uma vez que são materiais mais sensíveis.

Como funciona a circulação por termossifão?

É sabido que o mesmo fluido a temperaturas diferentes tem também densidades diferentes; quanto maior é a sua temperatura menor a sua densidade. Por esse motivo, quando se aquece um fluido, este tem tendência a estratificar-se ficando a parte mais quente na zona superior. No sistema por termossifão a água aquecida no coletor, sobe “empurrando” a água mais fria do depósito para baixo, tomando o seu lugar, para subir novamente quando a sua temperatura for novamente superior à que está acima. Este tipo de sistema apresenta a vantagem de ser simples do ponto de vista de construção e instalação, e não requer nenhum controlador ou entrada de energia convencional para fazer circular o fluido térmico no circuito primário, reduzindo assim os custos de aquisição. No entanto apresenta algumas desvantagens nomeadamente quanto à circulação da água dentro do sistema poder ser bastante lenta, especialmente onde há uma diferença pequena da temperatura entre o líquido do coletor e o tanque de armazenamento, reduzindo a quantidade de energia útil que pode ser coletada. São também sistemas menos estéticos e não se adaptam a determinados tipos de coberturas.

Como funciona a circulação forçada?

Os sistemas forçados usam uma bomba hidráulica para fazer circular a água do circuito primário. São mais adaptáveis aos vários tipos de construção e oferecem uma maior eficiência especialmente em níveis baixos da energia solar (por exemplo em dias nublados). São sistemas muito mais flexíveis pois permitem a instalação do coletor em qualquer zona e a qualquer distância (ainda que deva ficar o mais próximo possível) do acumulador. A bomba poderá ser comandada por um sistema de controlo automático (o comando diferencial). O sistema de controlo está regulado de modo a por a bomba em funcionamento logo que a diferença de temperatura entre os coletores e o depósito seja de 5 ºC. Basicamente estes sistemas são compostos pelos coletor solares, depósito acumulador, bomba circuladora, controlador diferencial, purgador, vaso de expansão e outros pequenos acessórios. Além das vantagens indicadas anteriormente destaca-se o facto da durabilidade do sistema ser superior uma vez que o único elemento exposto às intempéries é o coletor. A única desvantagem que estes sistemas apresentam é a de terem um custo ligeiramente superior motivado pela utilização da bomba circuladora e dos equipamentos de controlo.

Existe a possibilidade de ter um sistema solar que me faculte 100% de água quente?

Sim, é possível mas terá de ser estudado caso a caso. Um sistema que faculte 100% de água quente é seguramente maior que o recomendado. No inverno o sol tem menos intensidade e então precisamos de mais coletores para aquecer a água necessária. O mesmo sistema terá uma produção excessiva durante o verão e será necessário dissipar essa energia de alguma forma. Poderá ainda ser feita uma instalação na vertical para que no verão, estando o sol mais alto, os coletores fiquem menos expostos ou ainda cobrir os coletores em excesso nos meses de verão. Esta última opção é sempre a menos aconselhável pois implica intervenção humana duas vezes por ano.

Quantos coletores solares são necessários para águas quentes sanitárias (família 4 pessoas)?

Não existe uma regra simples pois são vários os fatores que estão na base do dimensionamento, tais como níveis de consumo, exposição solar, etc. No entanto como referência poderá ser um sistema com acumulador de 200 a 300 L e 1 a 2 coletores respetivamente.

Existe a possibilidade do sistema solar não aquecer água?

Num sistema bem dimensionado e instalado e excluindo os meses de inverno, não. Os sistemas são dimensionados tendo em conta diversos fatores, nomeadamente o número de utilizadores. Pode no entanto acontecer que quando existam mais utilizadores ou o consumo seja superior ao projetado, o recurso ao sistema convencional é a única alternativa. Um sistema bem dimensionado deverá contabilizar apenas o número de utilizadores regulares, principalmente no verão.

Qual a temperatura máxima que o sistema solar pode produzir para águas quentes sanitárias?

Um sistema bem dimensionado não deverá elevar a água a temperaturas muito acima dos 65 ºC (temperatura permitida por lei). No entanto para casos específicos é possível obter temperaturas muito superiores.

No inverno ou dias nublados o sistema solar produz água quente?

Sim, uma vez que o sistema depende apenas da radiação solar que pode ser direta, difusa (através de nuvens) ou refletida. No entanto nos meses de inverno a radiação solar é substancialmente inferior e consequentemente o rendimento é também inferior.

A instalação do sistema solar irá aumentar a fatura de eletricidade?

Não. Muitos fabricantes optam por soluções simples, colocando resistências elétricas no topo do depósito e programadas para ativarem apenas quando a água estiver abaixo de uma determinada temperatura. Acontece que é normalmente ao final do dia que a água atinge a temperatura mais baixa (pois o maior consumo ocorre ao final do dia) e a resistência é ativada para aquecer a água durante a noite, aumentando assim o consumo de eletricidade. As soluções propostas pela Bright Solar com os equipamentos promovem uma maior racionalização da energia, utilizando o sistema convencional apenas quando há necessidade de consumo efetivo de água quente.

É possível instalar um sistema solar numa casa sem pré-instalação e que obras necessito fazer?

Sim. Nas casas sem pré-instalação de tubagens para os sistemas solares é possível fazê-lo com recurso a um depósito de águas que a casa já tenha instalado na cobertura. Nos restantes casos será sempre necessário realizar pequenas obras para passar as tubagens (ainda que pelo exterior) até junto do sistema convencional.

Em dias nublados qual a capacidade do sistema solar?

Nos dias nublados a radiação solar emitida é quase nula, no entanto para além da radiação solar é também emitida a radiação infravermelha, a qual também é absorvida pelos coletores. Assim, desta forma, os coletores também funcionam em dias nublados.

Quanto posso poupar com um sistema solar?

Normalmente um sistema solar por termossifão cobre entre 60% e 70% das necessidades energéticas enquanto o sistema forçado com dimensões iguais pode cobrir mais de 80%. Em geral os custos iniciais de sistema forçado são aproximadamente 20% maiores do que o de um sistema por termossifão mas como este último tem um rendimento menor o tempo de retorno é semelhante. Se tivermos em consideração que um sistema solar tem uma vida útil de pelo menos 20 anos, o sistema por circulação forçada produz mais energia gratuita ao longo da sua vida.

Ao fim de quanto tempo tenho o investimento pago e quanto tempo dura um sistema solar?

Podemos assumir em média que à data de hoje o período de retorno de um sistema solar para aquecimento de águas sanitárias é de 5 a 6 anos. Assim, e uma vez que a durabilidade dos sistemas atuais é de pelo menos 20 anos, o sistema solar irá produzir água quente sem custos pelo menos durante 15 anos.

Quanto poupo se instalar um sistema solar para apoio ao aquecimento central?

Atualmente a instalação de um sistema para aquecimento ambiente só é economicamente viável quando integrada com aquecimento de piscina. No entanto em alguns casos esse investimento poderá ser vantajoso. Para um conhecimento mais rigoroso, aconselha-se um estudo para cada caso. Nas instalações para aquecimento solar é aconselhável o uso de pavimento radiante, radiadores, convectores ou ventilo convectores.

Posso utilizar sistemas solares para aquecer a água da piscina?

Sim e é talvez a situação na qual se obtém a amortização mais rápida do investimento.

Os coletores solares só podem instalados no telhado?

O telhado é normalmente escolhido para instalar os coletores pois assim não ocupam espaço no solo e porque ficam menos expostos a qualquer eventualidade que os possa danificar (bolas ou outros objetos). Podem ser instalados em terraços, varandas e até mesmo fachadas de edifícios sendo por vezes utilizado simultaneamente para produzir zonas de sombra.

Qual a capacidade máxima dos acumuladores?

Para os sistemas de águas quentes sanitárias domésticos são normalmente utilizados depósitos até 500 L mas existem depósitos que podem ir até aos 7500 L.

Os sistemas solares requerem manutenção?

Sim, apesar de ser muito baixa. Anualmente deve ser visto a pressão no circuito primário, verificado o ânodo de Magnésio (elemento de proteção do depósito Aço-Inox), e trocá-lo se necessário, e verificar a integridade de todos os elementos do sistema. A Bright Solar dispõe de planos de manutenção dos sistemas solares com custos muito reduzidos.

Os coletores solares resistem às intempéries e corrosão?

Os coletores são feitos de alumínio anodizado, ou seja, não tem qualquer problema de corrosão e resistem às condições mais adversas.

Qual a garantia dos equipamentos fotovoltaicos?

Coletores térmicos: 10 anos;
Depósitos de água: 5 anos ;
Restantes equipamentos: 2 anos;

SOLUÇÕES E SERVIÇOS

PEDIDO DE CONTACTO

Aguarde...